set 27 2009

Yom Kippur – Dia do Perdão

Publicado por ??s 22:37 em Religião

E mais um ano se passou, e aqui estamos nós novamente.

Durante o ano, nós seres humanos, cometemos erros, pecados, etc, sempre deixando a carne falar mais alto que a alma. Ora, somos feitos de carne, e a carne é fraca Senhor, imploramos que entenda esses seus súditos, que pecaram mas reconheceram seus erros, e estão aqui pedindo perdão por suas fraquezas.

O Yom Kippur, ou dia do perdão, é a data mais importante para os judeus. É a data do renascimento. É um dia de reclusão, de pensarmos em tudo de errado, ruim, injusto, egoísta e maldoso que fizemos no ano que passou. É fazer um balanço do que evoluímos, do que fizemos pelo próximo, onde melhoramos e onde pioramos, e é claro se arrepender de tudo isso e pedir perdão, e é claro, ser perdoado.

Para isso, como diz na Talmud (um dos livros da Torá – livro sagrado do judaísmo), a alma deve sempre dominar a carne, uma analogia usada é do cavalo (o corpo) e um cavaleiro (a alma). É sempre melhor o cavaleiro estar em cima do cavalo! E jejuar é a forma da alma dominar a carne, mostrar que ela não precisa do alimento físico que a carne precisa. Então faz-se jejum de tudo (comida e água) do pôr do sol de um dia até o pôr do sol do dia seguinte, ou aproximadamente, 25 horas.

Sim, é difícil. Sim é péssimo ficar sem comida, mais ainda sem água. Mas digo que faço o jejum desde 2003 quando conheci meu marido, e não me arrependo. Saímos limpos, vivos, cheios de esperanças, de luz, de paz, de amor! Como é bom alimentarmos a alma. Todas as religiões que conheço pregam o jejum como forma de alimento para a alma, para o espírito. Sim, é a forma mais bonita, mais consagrada, mais dedicada de mostrarmos nosso amor por um Ser maior, por um Deus de AMOR, que nunca nos nega uma graça.

Sem a possibilidade do arrependimento o mundo não poderia existir, já que ao criar o homem com o livre arbítrio – a liberade de escolha entre o bem e o mal – Deus deu-lhe a possibilidade de errar, de se afastar Dele. MAs ofereceu-lhe também a possibilidade de voltar para Ele, a possibilidade de mudar o curso de sua vida, de arrepender-se, de “aproximar-se de Deus afastando-se do pecado”. Na Torá também está escrito que sete elementos foram criados antes do universo, entre eles o arrependimento.

Yom kippur é um dia especial, onde o homem tem condições espirituais de se aproximar de Deus.  Neste dia além de não comermos, não podemos usar nada que venha da morte de animais (como couro) e produtos químicos que alimentam a vaidade (como desodorante, perfumes, etc). Não se pode tomar banho nem usar eletricidade (esqueça o elevador). Tudo em nome do sacrifício da carne em detrimento do espírito!

Mas nos dias atuais fica bem difícil seguir a risca, então a maioria jejua e não trabalha, e alguns (meu caso) jejuam mas trabalham, parando a cada hora para fazer a oração da Kol Nidrê abaixo.

Você pode não ser judeu, mas se crê num ser maior, num Deus santo, pai de todos nós, pode começar se arrependendo dos seus pecados, sinceramente, e o perdão lhe será concedido.

Ah, e depois do Yom Kippur, se seu arrependimento for sincero e seus pecados perdoados, seu nome será escrito no livro da vida!

Tradução da Prece de Kol Nidrê

“Todas as promessas, proibições [auto-impostas], juramentos, consagrações, restrições, interdições, ou [quaisquer outras] expressões equivalentes de promessa, que possamos prometer, jurar, dedicar [para uso sagrado], ou proibirmo-nos, desde esse Yom Kipur até o próximo Yom Kipur, que venha a nos para bem, [desde já] nos arrependemos de todos eles; assim sendo estão todos absolvidos, perdoados, cancelados, declarados nulos e sem valor, sem força nem efeito. Que nossas promessas não sejam consideradas promessas; que nossas proibições [auto-impostas] não sejam consideradas proibições; e que nossos juramentos não sejam considerados juramentos.”

O dia do perdão

No dia do perdão, o Yom Kippur relembra a história de quando Moisés desceu do Monte Sinai para encontrar Arão e os israelitas que admiravam o bezerro de ouro. Moisés ficou furioso. Em vez de adorar Deus, seu povo estava adorando uma imagem. No auge da fúria, ele jogou os dez mandamentos no chão e quebrou as tábuas de pedra. Moisés voltou para o Monte Sinai em busca do perdão de Deus para os israelitas e pediu novas tábuas de pedra. Deus perdoou os pecados do povo e, com um novo par de tábuas de pedra, Moisés retornou para os israelitas no décimo dia do Tishri e disse:

E isto vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez dias do mês, jejuareis e nenhum trabalho fareis nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós. Porque nesse dia se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos vossos pecados perante o Senhor. É um sábado de descanso para vós, e devereis jejuar; isto é estatuto perpétuo. (Levítico 16:29-31)

Um coment??rio

Um comentário to “Yom Kippur – Dia do Perdão”

  1. marcelino de sousa rodriguesem 16 jan 2010 at 22:16

    temos q acada dia se voltar para o Nosso DEUS,por causa da sua misericordia

Trackback URI | Comments RSS

Comente