out 06 2009

A Reforma – Capítulo III

Publicado por ??s 17:44 em Dia a Dia

Apesar dos pequenos problemas que foram surgindo durante a nossa obra que já tem 1 mês, eu estava achando relativamente tranquilo. Óbvio que percebo o quanto falta de coisa para fazer (hoje o mestre de obras me disse + 2 meses) e me entristeço, maassssss, como a gente gosta de comer frango e arrotar peru, nóis sifú!!!!

Pois é, empreiteiro ligava e dizia que vazou água no banheiro da vizinha, tá bom, achava o fim do mundo, desesperava e ia lá e pronto, tava resolvido, facim facim. Aí alguém viu a porta aberta e percebeu que eu comprei uma casa “muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada. Ninguém podia viver nela não, pq na casa não tinha chão”, LITERALMENTE (vide abaixo), e reclamou para o sindíco que eu tava doida de pedra querendo mexer na estrutura do prédio. Aí lá vai eu (lerelerelere..) descabelada, desesperada, achando que o mundo acabava alí, antes mesmo deu comer o último petit gateau da minha vida (gorda até nessas horas!!), mostrar a planta, chamar arquiteta para explicar, etc… E daí que resolveu denovo, assim, meio facim facim, e eu denovo me empolguei sabe cumé? A gente acha que tá podendo sabe? Bem gente grande, que faz mega reforma de meses e troca encanamento, fiação, derruba paredes, etc.. Num parece rico? Rico que faz essas obras malucas, revira tudo de cabeça pra baixo, então deixa eu me sentir um pouco falou?

DSC00006

Pois é, o detalhe é que arrumei um prédio de pobre que num tem onde cair morto, onde vizinha de cima escreve receita para a Ana Maria Braga, a de baixo coça o saco do marido caxumbado, e a da direita tem fantasias eróticas com os meus pedreiros mas dá pinta que eles são gentalhas. E por fim as três queridinhas poderosas do universo (sim, Deus dá poder para quem não sabe canalizar!!) resolveram fazer um abaixo assinado e mandar pra Prefeitura, que se resolver fiscalizar, pode também decidir embargar e aí minha filha, só Deus sabe quem é que eu vou ter que matar para retomar a obra.

Na boa, se tú num gosta de mim num adianta torçer para isso acontecer porque depois volta tudo para você. Se eu não vou ter onde morar tú num vai ter com quem desencalhar. Vai torcer para as facções criminosas serem presas, para a Suzane von Richthofen ser condenada, para a Sasha aprender a escrever “cena”, para seu blog ter audiência, para qualquer coisa, mas me deixa em paz que num tô merecendo sua urucubaca.

Agora, dá para a galerinha do bem torcer a favor? Neste momento meu marido tesão apaixonado está tentando convencer a vizinha (que estava testando uma nova torta de jiló para revender) a esperar mais um pouquinho, que o pior da obra já tá terminando, que as marteladas estão com dias contados, depois disso vem só as serras elétricas, furadeiras, etc, fica mais facim dela se concentrar no trabalho. Eu falei que eu prometo ensinar a receita da torta de chocolate com limão das Rainhas, que eu faço qualquer coisa pra essa mulher retirar a queixa e deixar eu ter um teto para viver em 2 meses.

Tá bom, já aprendi a lição, num canto mais vitória, vou continuar sendo dramática que num gosto desse negócio de ser pega de surpresa, ainda mais com notícia ruim!

Torce por mim?

Beijomeliga

Beijomesegue @cburin

Beijocomenta

2 coment??rios

2 comentários to “A Reforma – Capítulo III”

  1. Renataem 07 out 2009 at 08:42

    Putz…tem gente pra tudo mesmo. Isso no fundo, é inveja, porque nao pode fazer uma reforma!!!
    Tranquila, vai dar tudo certo!!!!!

    Beijos!

  2. La Dolce Vittaem 08 out 2009 at 19:08

    […] lembram que os vizinhos fizeram abaixo assinado para embargar minha obra na prefeitura? E aí como meu Deus é o Deus do impossível, Senhor da Glória, de graças e mais graças, SEMPRE […]

Trackback URI | Comments RSS

Comente