Arquivo de maio, 2012

maio 15 2012

Furo na orelha!

Publicado por em Filhos

Ontem, dia 14 de maio, furamos a orelhinha da Sarah. Foi furada por uma senhora que faz isso há mais de 50 anos e vem em casa. Indicada pela pediatra, a senhora Graziela é fantástica, adorei ela. Veio e em questão de minutos resolveu tudo. Ela tava quietinha, no primeiro furo deve ter doído um pouco pois começou a chorar toda ressentida (e eu chorei junto). E com a outra orelha também. Mas foi só a mamãe pegar no colo que ela parou.

E minha pequena ficou ainda mais linda, não acham?

Um coment??rio

maio 14 2012

A Chegada de Sarah

Publicado por em Filhos,Gravidez

Na quinta-feira fomos na médica, eu estava toda esperançosa que as coliquinhas que estava sentindo e as manobras que a enfermeira obstetra tinha feito para estimular o colo do útero a abrir tivessem funcionado. Mas nada, ela continuava alta, e eu queria esperar até 42 semanas, a médica disse que a decisão era minha mas que se ela não havia descido é porque algum motivo tinha, ou porque ela era muito grande ou minha bacia não comportava, enfim, chegamos a conclusão que seria melhor fazermos a cesárea logo, e depois de muito choro por minha parte, a médica segurando minha mão de um lado e o Rafa do outro, decidimos marcar para sábado já que toda nossa família era de fora e seria mais fácil para eles estarem presentes.

E aí comecei a finalizar os preparativos, deixar a casa arrumada e comecei a curtir a barriga, os dogs e meus últimos momentos de mãe SÓ de cachorros.

Na sexta-feira de manhã fui levar os dogs na creche onde eles ficariam até segunda quando meus pais iriam buscá-los e levar para minha cidade natal onde ficariam por 15 a 20 dias até que tivéssemos uma rotina estabelecida com a Sarah para eles voltarem e sentirem menos. Eu chorei o caminho todo, ia enchendo eles de beijos e pedindo que eles ficassem bem e curtissem as mini-férias na casa da vovó. Expliquei que quando eles voltassem muita coisa iria mudar, e que a mamãe iria fazer de tudo para que eles sofressem o mínimo possível. Deixei eles e voltei para casa soluçando de chorar no carro, já morrendo de saudades deles, mas morrendo também de medo de fazê-los sofrer, de ser uma daquelas pessoas que abandonam seus animais quando o bebê nasce que tanto condenei.

Na sexta-feira a noite fomos na sinagoga rezar um pouco e pedir que tudo corresse bem. Foi bem gostoso, o rabino da noite foi o que celebrou nosso casamento, e todo mundo vinha falar comigo perguntando pra quando era e se assustavam quando eu dizia: “É para amanhã cedo”, kkk.

A reza daquela noite foi dedicada a nós e Sarinha. Fiquei olhando as crianças encantadas quando as portas que protegem as Torás abriram-se e elas puderam chegar perto. Fiquei pensando na minha filha alí em breve. Eu estava começando a ficar emocionada e com medo. Saímos de lá e fomos direto para o Insalata, nosso restaurante preferido em SP que vamos desde que nos conhecemos há 10 anos atrás. Eu doida para comer um petit gateau de doce de leite imperdível de lá, já que há mais de 2 meses não comia doces por uma promessa.

Chegando lá encontramos com algumas amigas na coincidência, e foi excelente porque batemos muito papo a noite toda e eu não tive nem tempo de pensar em nada e ficar nervosa. Fotinhas nossas no restaurante:

Assim que chegamos em casa peguei a câmera e fui registrar minhas últimas imagens barriguda. Essa foto abaixo é uma delas. 41 semanas e 3 dias.

 

Em seguida fomos dormir, havia passado a outra noite praticamente em claro velando o sono dos meus filhos caninos e dando muitos beijinhos neles, então estava bem cansada. Quando foi umas 5:30 da manhã, tanto eu quanto Rafa fomos acordados por um pernilongo super chato e acabamos perdendo o sono. Tínhamos que deixar algumas coisas prontas então acabamos levantando mesmo. A ansiedade começava a bater mas estávamos calmos.

Antes de sair de casa olhei para o apartamento pela última vez e comentei com o Rafa que quando estivéssemos alí novamente, seria com a nossa princesa. Chegamos às 9:30 na maternidade, a cesárea estava marcada para 11h. Sabíamos que iria atrasar pois a maternidade vive cheia e quando chegamos já nos avisaram sobre isso, não tinha quarto para internar e muito menos centro cirúrgico para operar. Meus pais chegaram logo em seguida, minha mãe estava uma pilha de nervos, eu que tive que acalmá-la, rs. Em seguida chegou minha sogra e a tia do Rafa, o irmão dele com minha cunhada e as crianças. Todos numa ansiedade só. Aproveitamos os últimos minutos para curtir a todos, tirar mais fotos e fechar a contratação do book de fotos do parto. Não quis filmagem, achei um desperdício de dinheiro e o Rafa fez essa parte muito bem, mas as fotos achei bem legal, eles tiraram fotos lindas e assim que receber o book e cópia das fotos divulgarei aqui.

Fomos chamados e nos trocamos. Lembro de acariciar minha barriga tão amada pela última vez. Nunca na minha vida gostei da minha barriga, sempre renegada e escondida, mas durante alguns vários meses ela foi meu maior motivo de orgulho. Senti muitas saudades. Nos trocamos e ficamos esperando.

Fui andando para o centro cirúrgico, estávamos dando muitas risadas, minha equipe médica era fantástica, só mulheres na sala com excessão do anestesista. A anestesia deu um pouco de trabalho para pegar, ele teve que tentar 3 vezes e doeu só um pouco. Deitei e eles já começaram a me limpar, passar sonda, etc. A sensação é horrível, você não sente dor mas sente eles mexendo em tudo, é estranho. Logo o Rafa e a fotógrafa entraram e começou a cirurgia. Em menos de 5 minutos ela nasceu, eram 13:15, linda, gordinha, com pouco cabelo, totalmente diferente do que eu imaginava. Pouco antes de tirá-la abriu-se a cortina e nossa família teve a oportunidade maravilhosa de vê-la nascer. Todos os avós chorando muito e os priminhos maravilhados com aquela visão da priminha que acabava de nascer e foi tão esperada por eles. Posso dizer que dá sim aquela mega emoção, vontade de chorar, mas tudo foi superado pela preocupação. Você quer saber se tá tudo bem com o bebê, se ele vai chorar logo, se está sofrendo. Tanto eu como Rafa ficamos muito mais tensos do que emocionados.

Logo levaram ela. Nasceu enorme, era a maior bebê da maternidade. Como dizem os mais velhos, já nasceu criada. Ficamos alí com eles me costurando, Rafa junto. Quando acabaram de costurar, trouxeram ela para mamar. Pegou meu peito e mamou gostoso. Tão linda. Eu só fazia chorar quando olhava para ela. Como podemos amar tanto alguém que mal conhecemos? E como pode esse amor só crescer a cada dia?

Ela foi levada para o berçário e eu para o quarto. Logo ela chegou para mamar novamente. Começamos a ter um pouco de problema com o meu bico invertido, mas usamos bico de silicone e tudo deu certo. Ela por ser muito grande, tinha uma necessidade calórica muito maior que um recém nascido normal, e como o colostro é bem pouquinho, até meu leite descer ela teve que tomar complemento.

Eu e Rafa estávamos em estado de graça. Parecia que nosso amor estava mais forte, mais consolidado, mais sólido. Não cansava de olhar para ela e pensar como tínhamos feito um bebê tão lindo e perfeitinho.

A noite as enfermeiras vieram para me fazer levantar e tomar um banhinho. Meu Deus que dor, a primeira levantadada depois da cesárea é de matar. Queria dar um tiro nas mulheres que haviam me dito que não doía nada, era só um incomodo. Que raiva!!! Olha, se não fosse por 2 dias depois eu estar perfeita, sem dor alguma e com o playground do Rafa (como ele chama) intacto, eu teria feito um movimento de proibição do parto cesárea. Hoje acho que para mim (PARA MIM!!!!!!!) é a melhor opção.

Mas o tempo foi passando e fui me sentindo cada vez melhor, recebemos algumas visitas e quando foi segunda-feira cedo o médico veio dizer que ela estava com icterícia e teria que ficar no berçario no banho de luz. Quase morri de tanta saudade, só podia vê-la a cada 3 horas para dar de mamar, e a beijava muito durante esses poucos minutinhos juntas. Na segunda cedo também desceu meu leite, peito ficou enorme e cheio de nódulos bem doloridos, a famosa apojadura. Graças a Deus tive muito leite e não tive nem rachaduras/fissuras (talvez pelo uso do bico de silicone) e a dor passou rapidinho. Tive MUITO apoio no Einstein, agradeço as enfermeiras maravilhosas que me ajudaram posicionando a Sarah, dando várias dicas, me corrigindo o tempo todo. Foi maravilhoso e minha experiência está sendo ótima. Assim que o leite desceu ela parou de tomar o complemento e sua glicemia (que havia chegado em 39 quando o normal é 45) voltou a subir e ela ficou ótima.

Acabadinha depois de mamar:

Sarah no banho de luz:

Tivemos que ficar mais um dia no hospital por conta da icterícia dela e uma anemia minha (perdi bastante sangue), mas saímos de lá na quarta-feira e viemos para casa. Vim no carro aos prantos, orando e agradecendo a Deus por mais essa benção na minha vida. Não acreditava que estava indo para casa com minha filha nos braços.

Pronta para ir para casa:

Os primeiros dias tem sido tranquilos. Como eu esperava, não é punk como todo mundo diz. Acho a maioria das pessoas despreparadas e reclamonas, não sabem o que é ter trabalho de verdade. Para mim foi tranquilo. Lógico que não é fácil, que ela tem muita cólica e já passei 2 noites sem dormir, mas na noite seguinte já aprendi umas coisinhas, uns truques, e estamos nos acertando cada vez mais.

Só posso dizer que a experiência é incrível, que me arrependo de não ter tido filhos antes, e que é realmente o maior amor do mundo. Indescritível.

Os cachorros estão com a minha mãe por alguns dias até nós termos uma rotina estabelecida e termos condições de dar o mínimo de atenção para eles. Mas sei que vai ser uma adaptação tranquila.

Obrigada pelas mensagens positivas, pelas orações e pelo carinho de todos vocês.
Vou escrevendo sempre que possível. Beijosssssssssss

2 coment??rios

maio 07 2012

Sarah chegou

Publicado por em Filhos

Sarah nasceu às 13:15 do dia 05/05/2012 pesando 4,210 kg e medindo 52,5 cm. A maior bebê da maternidade. Mamãe e bebê passam bem e assim que possível voltaremos aqui.

20120507-000629.jpg

Um coment??rio

maio 05 2012

É hoje!!!

Publicado por em Gravidez

41 semanas e 3 dias.
Esse é o tempo que você habitou em minha barriga, filha.
Em cerca de 1 hora devemos estar juntas como sempre, mas de uma forma diferente. Você vai conhecer o mundo aqui fora, e vai amá-lo, te garanto. É um mundo de amor, de alegrias, de muitos sabores, cores e flores. Há tristeza também, mas faz parte.
Em pouco tempo nós duas vamos entrar em cena atuando em nosso papel mais importante. Você como filha e eu como mãe. Não há de ser simples ou fácil, mas nunca deixará de ser um espetáculo.
Vem pra cá filha, conhecer o amor incondicional. Estamos te esperando!
Com muito amor,
Mamãe!

20120505-120732.jpg

Um coment??rio

maio 02 2012

41 semanas…

Publicado por em Gravidez

Pois é, cá estamos nós, completando hoje 41 semanas. Jamais pensei que chegaria aqui, e pior, sem nenhum sinal de trabalho de parto…. você continua alta filha, parece que corre da luz, deve estar gostoso aí dentro né? Mas você está ficando cada vez maior e mais difícil da mamãe te carregar.

Seus avós, seus tios, priminhos e todos os amigos da mamãe e do papai estão ansiosos, e olha filha, não é fácil aguentar a ansiedade deles não. As pessoas perdem a noção de limite, por mais que você garanta que VAI AVISÁ-LAS assim que você chegar, elas insistem em te cobrar diariamente com um “E aí?” “Cadê a Sarah?”. Sei que eles não fazem por mal, mas não ajuda nada a sua mamãe aqui, que tem estado muito triste temendo por um parto diferente do que ela sempre quis. É difícil controlar a ansiedade de ver seu rostinho, misturado com o medo de uma cesárea, com o medo de você não estar bem. São tantos sentimentos filha, se estiver difícil entender o que está se passando aí dentro, perdoa a mamãe porque ela já não sabe mais o que esperar, o que desejar, o que sentir.

Tem horas filha que tudo o que eu sinto é medo. Outras fico brava, muito brava que o universo está parindo e nós duas continuamos aqui. Seu pai a vida toda sempre disse que para nós dois nada veio fácil e sempre demorou mais que com as outras pessoas, e com você não seria diferente. E ontem eu perguntei para ele: “Porque que para nós dois tudo tem que ser mais difícil?” e ele não soube responder. Mas ele me lembrou de uma coisa: quando acontece para nós dois, é sempre muito melhor que para os outros, então eu deveria levar isso em consideração e imaginar que a sua chegada vai ser mais que especial, assim espero filha.

Eu não tenho a menor ideia do tipo de mãe que vou ser, minha filha. A única coisa que sei é que vou errar muito, sempre tentando acertar, e peço que você tenha paciência com essa sua mãe aqui, que você continue me ensinando que daqui para frente as coisas não serão mais como eu quero ou espero, e sim que elas vão acontecer no seu tempo filha, de acordo com as suas necessidades. A vida da mamãe não gira mais em torno das necessidades dela, no tempo dela, e sim no seu, e a mamãe está aprendendo isso aos poucos, então tenha paciência. A mamãe só sabe que vai te amar muito, não importa quando e como você vai chegar.

A mamãe está aqui, te esperando, esperando por qualquer sinal de que você possa estar chegando. Acho que você deve estar ouvindo o tanto que tenho conversado com você ultimamente, deve ter ouvido minhas súplicas. Não ligue se eu estiver exagerando, eu só estou ansiosa pelo dia mais feliz da minha vida, o dia que vou te conhecer meu amor, seja este dia quando tiver que ser.

Um coment??rio