Arquivo da Categoria 'Família'

nov 21 2016

David 5 meses!!!

Publicado por em Família,Filhos

5 meses do meu amor, do meu coração! Quanta alegria você trouxe para nossa casa filho! Com 5 meses você:

– já se vira sozinho e fica de bruços

– já está bem durinho mas ainda não consegue ficar sentado sozinho

– é louco pela sua irmã

– tem verdadeira adoração pelo papai, seguindo ele com os olhos toda vez que ele solta aquele vozerão

– mama exclusivo no peito, apesar de há alguns dias ter começado a comer frutinhas (adora mamão e pera!)

– está gorducho e adoro apertar suas pernocas gordas

– ama tomar banho

– adora conversar e dar gritinhos

– ama assistir TV, fica olhando compenetrado rs

– ainda usa fraldas P, mas as roupas já são as de tamanho 6 meses

– dorme bem a noite, acordando 2x para mamar e despertando as 7 da manhã

– deu para reclamar e querer só dormir de lado!!!

– não é tão vidrado na chupeta (aleluia!)

– tem um sono mega leve e por isso as sonecas do dia são curtinhas, máximo 30 minutos

– é muito sorridente, as pessoas na rua ficam encantadas com você

– conquistou de vez o coração da mamãe, que nunca imaginava como era bom ter um filho homem!

 

david5meses

Nenhum coment??rio

set 20 2016

A chegada de David e os dois primeiros meses!

Publicado por em Família,Filhos,Gravidez

David chegou dia 21 de junho às 9:03 numa cesárea de emergência, com 38 semanas e 6 dias. Minha pressão começou a subir muito (18×10) e comecei a liberar proteína na urina, o que caracteriza risco de eclampsia.

Foi uma cesárea tranquila, até por ser a segunda e já saber o que esperar. Na hora da anestesia doeu um pouco, mas o pior foi quando deitei e começaram os procedimentos, tive um enjoo terrível e quase vomitei, mas o anestesista agiu rápido colocando minha barriga de lado (ajuda muito) e administrando medicação.

David nasceu lindo, com 3,585 kg e 51 cm (na hora mediram 49 cm, mas ele era bem maior e a pediatra mediu de novo depois e deu 51). Não quis mamar logo de cara, queria dormir. Acho que nasceu a cara do pai, agora mudou um pouco mas ainda parece muito.

Sarah ficou encantada com o irmão, foi visitá-lo pelo segundo dia na maternidade, mas chorou muito na hora de ir embora, não queria deixar a mamãe.

David teve uma ótima pega desde cedo, e as enfermeiras do Einstein desta vez foram muito solícitas e me ajudaram muito com a amamentação. Tivemos muita sorte pois quando o David nasceu, uma terça de manhã, faziam 23 horas que não nascia nenhum bebê. Somente 4 quartos no andar, a maternidade ficou vazia até a sexta de manhã (quando nasceram 18 de uma vez), e tivemos muita assistência, foi ótimo. Meu leite desceu na quarta a noite, e como na Sarah, muito farto. Não precisamos de bico de silicone e tudo se acertou. Quando cheguei em casa chamei uma consultora  de amamentação que nos ajudou bastante a terminar de se acertar. Ele perdeu peso no primeiro e segundo dias na maternidade, mas no terceiro ganhou 26 gramas. E na primeira semana também ganhou, estava confiante que desta vez tudo ia dar certo. E foi assim por quase um mês.

Estava morrendo de medo da primeira levantada da cesárea, onde sofri muito na Sarah. Acho que o medo foi tanto que não doeu quase nada. Essa cesárea foi super tranquila.

Voltamos para casa e os primeiros dias foram infernais. Sarah não demonstrava ciúmes do irmão na forma clássica (querer bater, cutucar, etc). Ela simplesmente estava em sofrimento por não ter mais a mamãe dela disponível o tempo todo. E ela externalizava esse sentimento, me falando frases que cortavam meu coração, como “você não me ama mais, só ama o David” “mamãe eu te amo, estou sofrendo, cuida de mim, fica comigo” e outras bem pesadas. Sofri muito, ela chorava de um lado e eu chorava de outro.

David não dormia nada, ela tinha muitos gases e gases muito doloridos, que o acordavam a toda hora. A primeira semana foi super punk, e para falar a verdade, seguiu assim até poucos dias atrás, com quase 3 meses. Tentava de tudo, colikids (o único cientificamente comprovado o efeito, e que deve ser usado desde o nascimento e uso contínuo para fazer efeito – que leva 10 dias), colicalm, funchicória, chá de erva doce, massagem shantala, banho quente, bolsa de ervas quente, etc. Tudo muito paleativo, durante as crises era só colo que acalmava. Ele jamais dormiu mais que 1 hora durante o dia, e eu ficava em função dele o tempo todo. Foi muito punk, às vezes passava 3 dias sem tomar banho. E Sarah sofrendo….. e eu dando patadas nela pelo nervoso que eu passava com o choro dele.

Ele golfava muito, e com 1 mês o pediatra de Santos diagnosticou refluxo, e entrou com medicação. Até porque ele começou a ganhar pouco peso. Apos a medicação, ele melhorou um pouco, mas na consulta com a pediatra de SP, uma semana depois, ela viu ele mamando (as mamadas eram sempre tensas!) e disse na hora “ele tem refluxo oculto e está com esofagite, por isso sofre de dor”. Incrementamos a medicação e por uns dias ele melhorou, mas a coisa voltou a ficar ruim. A pediatra então pediu que o levasse numa gastropediatra.

Levei e o possível diagnóstico era alergia a proteína de leite de vaca. E aí começou o pesadelo. Fui cortando de tudo da alimentação, cheguei a viver de frango orgânico, batata e maça. Fomos no feriado de 7 de setembro para o hotel mazaroppi em Taubaté e lá foi um horror, porque eu não podia comer nada, vivi de alface, chuchu e cenoura. No café da manhã comia maça e mamão. Sou a única pessoa do universo que emagreceu 2 kg num hotel fazenda! E nem com tanta restrição alimentar ele não melhorava. As noites eram terríveis. A hora das cólicas era 4:30 da manhã e depois disso não dormia mais. Vivia exausta, irritada, sem paciência, ainda mais que pediram para eu tirar o antidepressivo também, pois poderia ser a causa. A coisa chegou num nível que tive que trocar todos os cosméticos que continham traços de leite e ter todos os meus utensílios novos e separados de todos (pratos, talheres, copos, panelas etc) para evitar contaminação cruzada. Tinha meu próprio armário. E nada resolvia.

A gastro mandou introduzir um leite especial para alérgicos aplv, chamado Neocate, que custa 200 reais a lata que durava 4/5 dias. A primeira vez que ele ficou exclusivo no Neocate por 2 dias, ficou ótimo. Dormiu quase a noite toda. E aí meu pesadelo se intensificou, pois eu sofri muito pensando num desmame precoce. Eu chorei todos os dias desde que o David nasceu. Não foi fácil.

Passava as madrugadas pesquisando sobre aplv, e numa dessas pesquisas encontrei uma gastro pediatra no facebook que me sugeriu um gastro em SP, Dr. Mauro Batista de Moraes, com consultório no Einstein. Fomos nele quarta-feira passada, dia 14 de setembro. Foi Deus que colocou ele no nosso caminho. Após 1 hora de consulta escutando a gente contar toda a história do David, ele disse: “acho que ele não tem nada além de um refluxo normal de RN e fortes cólicas também, mas a medicação pesada que ele está tomando está agravando as dores. Retire a medicação e volte a comer o que quiser”. Saímos de lá desconfiados mas obedecemos. E num passe de mágica ele começou a dormir a noite toda, acordando somente às 3:30 para mamar e indo até às 6:30, sendo que vai dormir às 21 horas.

Ou seja, ele não tinha APLV, estava era sofrendo o normal de RN mas intensificado pela medicação. Graças a Deus ele está bem melhor e estou agora, somente agora, começando a relaxar e curtir a maternidade, pois foi um verdadeiro pesadelo.

Emagreci 20 kilos (engordei 18 na gestação), mas ainda faltam 15 kg que engordei antes de engravidar. Mesmo com muitas restrições foi difícil emagrecer, pois acho que a tensão, stress, cansaço e a idade dificultaram tudo. Agora que ele está melhorzinho, vai sobrar mais tempo para me cuidar. Não faço as unhas desde que ele nasceu!!!!!

Vamos retornar no gastro amanhã, e relatar as melhoras. Hoje ele está tendo cólicas de novo, mas acho que é porque eu exagerei na manteiga e chocolate nos últimos dias. Vamos ver o que o médico vai concluir. Mas ele está somente no peito agora e mamando muito, tomara que ganhe peso, pois hoje, com quase 3 meses, está pesando 5,3 kg e medindo 59 cm, que apesar de estar na faixa normal, eu acho pouco.

Agora vamos aos milestones do David aos 2 meses:

  • ele é um bebê risonho e feliz, muito feliz. Mesmo diante de todo o sofrimento que ele passou (esqueci de mencionar que ele foi circuncidado também), ri para tudo, até no meio das crises de cólica. E ri para qualquer um, especialmente para a mamãe. Ele se derrete por mim, ri muito, e eu me apaixono.
  • desde o primeiro mês de vida já ficava muito durinho, se não segurarmos direto ele se joga para trás no nosso colo.
  • ainda não tomou nenhuma vacina por causa da situação dele.
  • teve uma laringite que tá difícil de curar.
  • fala “mamã”. Pode achar loucura, mas até minha psicóloga ouviu e ficou incrédula.
  • é muito esperto, já segue a gente com o olhar.
  • conversa muito conosco e com os brinquedos da cadeirinha.
  • detesta ficar sozinho.
  • dorme muito bem a noite no seu bercinho, mas de dia tem pavor de ficar lá, quer dormir na cadeirinha de balanço na sala.
  • odiava banho nos primeiros dias, pois se sentia inseguro. Só podia dar banho nele de bruços, senão era uma gritaria. Há um mês comprei uma boia (baby pill) e ele agora ama os banhos, pula, chuta, bate as mãos.
  • há uns 15 dias começou a descobrir as mãozinhas, coisa mais linda e fofa.
  • estou, agora que ele melhorou, tentando estabelecer uma rotina. A única que já está estabelecida é a da noite, onde por volta das 20 horas ele toma banho, mama no escuro e dorme em seguida, no berço. Vai até umas 2/3 da manhã, mama e dorme de novo, acordando a cada 2 ou 3 horas.
  • já reconhece as vozes da Sarah e do Rafa, a minha já reconhece desde os primeiros dias.
  • já está conseguindo agarrar, ainda que desengonçado, seus brinquedos.
  • está usando fralda P da pampers. Usou RN por uns 10 dias, depois XP e P desde 1 mês.
  • as roupas de 3 meses estão começando a ficar certinhas agora. Acredito que em 1 ou 2 semanas não vão servir mais.
  • tem cílios enormes, parecem postiços.
  • tem pêlos na orelha que nem o pai, rs.
  • os olhos clarearam um pouco e são super diferentes, um cinza azulado claro, muito lindo.
  • as unhas dele tanto do pé quanto da mão são parecidas com as minhas, diferentes da Sarah que sempre foram iguais ao pai.
  • a molera ainda não fechou completamente.
  • seu umbigo caiu com 4 dias, super rápido comparado com a Sarah que foi com 11 dias.
  • tem um mega pulmão, e quando está incomodado ou com fome chora, chora muito e muito alto.
  • é a coisa mais fofa desse mundo e estou amando ser mãe de menino.

Volto aqui com mais frequência agora que as coisas estão se acalmando e acertando.

Beijos

Nenhum coment??rio

jan 08 2016

David vem aí!!!

Publicado por em Família,Filhos,Gravidez

Notícia boa para vocês: estou grávida de 15 semanas do David, meu sapequinha lindo que veio completar nossa família. Estamos em êxtase, muito felizes, e eu não vejo a hora dele nascer. Que saudades estou de ter um bebê no cólo, com aquele cheirinho maravilhoso!!!

Ele deve nascer no começo de Julho.

Esta gravidez está sendo mais tranquila, sem tanta ansiedade, por razões óbvias. Já sinto minha barriga ficando dura de vez em quando, algo que na gravidez da Sarah comecei a notar com muito mais tempo. Nesta gravidez enjoei MUITO, sendo que na da Sarah só enjoei um dia apenas.

Por outro lado, estou sofrendo muito com as pernas e circulação. Tenho a síndrome das pernas inquietas e me incomoda muito, principalmente a noite quando não consigo nem dormir. Estou a base de meia de compressão, remédios e muita drenagem e repouso sempre que possível com as pernas para cima.

Já fizemos o morfológico e graças a Deus tudo bem com nosso menino!

Confesso que fiquei meio em choque quando soube que era um menino….. e quase morri quando tive que me desfazer de todos os vestidinhos, sapatinhos e roupinhas lindas que Sarah mal usou……. mas tudo bem, pelo menos o lado bom é que tenho outro enxoval para fazer. É um mundo novo mas estou gostando de ter um casal, saber como é ser mãe de cada sexo.

Sarah no início não curtiu o fato de ser menino, ela queria uma menina, mas quando eu disse que ele não ia usar as roupas dela nem brincar com as bonecas dela, ela adorou, rs. Ela vive uma relação de amor e ódio com a minha barriga, tem horas que abraça, beija e diz que ama o David, como tem horas que olha com raiva e quer chutar…..

Falando em barriga, Jesus, como a barriga do segundo filho desponta rápido. Estou com barrigão já, parece que estou de 6 meses….. tudo bem que estou mais gorda (10 kg + que quando engravidei da Sarah), mas tá meio bizarro mesmo.

E eu estou adorando estar grávida de novo, apesar de todos os contra tempos. Os olhares simpáticos, os cuidados e preocupações de todos, o carinho, as mudanças, as expectativas, ah, como é maravilhoso tudo isso.

E só posso agradecer a Deus por me conceder mais essa benção em minha vida, me permitir ser mãe novamente, de uma criança saudável e que será muito amada por todos nós!

Beijos

Nenhum coment??rio

out 02 2014

O golpe do sequestro via celular

Publicado por em Dia a Dia,Família

golpe

 

Eu queria começar este post com algumas observações sobre celular, ligações, etc… para aumentar a segurança de vocês e também para passar para seus funcionários domésticos, filhos, etc.

1) Jamais atenda números desconhecidos. Eu não atendo nem número que não conheço nem sem identificação. Eu penso que se for algo sério e não golpe, bandidos querendo informações, call centers diversos, etc.,…. que a pessoa vai deixar recado. E quem é sério sempre deixa. Consultório médico querendo confirmar consulta, a escola do seu filho, a babá, o banco, o RH do processo seletivo que você está participando…. eles VÃO DEIXAR RECADO, acredite.

2) Se você atender, JAMAIS responda qualquer pergunta, principalmente a tão famosa “Quem fala?”. Jamais responda seu nome. O ideal é o seguinte diálogo:

Você: – “Alô?”

Outra pessoa: – “quem fala?”

Você: – “Com quem gostaria de falar?”

Outra pessoa: – “com a fulana.”

Você: – “não tem ninguém aqui com esse nome”

Outra pessoa: – “mas qual é esse número?”

Você: – “qual o número que vc ligou?”

Outra pessoa: – “xxxx-xxxx”

Você: – “não é esse número (ou é esse o número mas não tem ninguém aqui com esse nome), ate mais” E DESLIGUE.

 

Mas enfim, estou escrevendo isso pois meus pais caíram no golpe do falso sequestro. Meu pai recebeu uma ligação em seu celular falando que eles estavam com a filha dele, em seguida pediram o telefone da casa e outro bandido ligou, assim eles deixaram todas as linhas ocupadas.

Como era bem tarde estávamos dormindo em casa, então minha mãe correu me ligar e para o meu marido e nós obviamente não ouvimos, e também não ouvimos o telefone de casa. Eles se desesperaram e aí no desespero a pessoa começa a entregar tudo, perceberam a presença da minha mãe e ligaram no cel dela também, um horror. A sorte que o condomínio tem vigia que eles tiveram a ideia de chamar e escrever num papel para ele sair ligando em tudo quanto é telefone até conseguir nos acordar e mesmo eu falando com a minha mãe que eu estava bem ela não conseguia acreditar.

Gente, o bandido nem devia saber meu nome, deve ter falado que sequestrou a filha e meu pai já soltou o nome, em seguida já deve ter soltado o nome do meu marido, etc. Nessas horas a única dica que você tem que dar para seus familiares é DESLIGAR IMEDIATAMENTE o telefone e buscar encontrar seus parentes e NÃO ATENDER MAIS O TELEFONE.

Um dica que eu quero dar e que uso desde que o Rafa foi sequestrado é o programinha do iphone (não sei se tem para android) chamado AMIGOS (ou Find My Friends), onde você adiciona as pessoas que também têm o programa instalado e se elas autorizarem você consegue ver onde elas estão. Ele é excelente e se eu tivesse esse programa quando o Rafa foi sequestrado ele não teria ficado tanto tempo no poder dos bandidos.

Portanto treinem seus familiares por favor, meu pai ficou muito mal do coração, se os seus pais são doentes podem até ter um piripaque numa situação dessa. E treinem funcionários domésticos para nunca dizer que vocês não estão, e sempre responder “ela não pode falar neste momento”, e não responder mais nada, em qualquer pergunta sempre dizer “não estou autorizada a dar informações”.

images

 

Nenhum coment??rio

nov 23 2013

3.5

E sao 00:25. Acabo de completar 35 anos.
Ontem eu e meu marido comemoramos 11 anos juntos, e ele me escreveu um cartão tão lindo que me deixou meio introspectiva, pensando que eu nunca parei para pensar onde e como eu estaria quando completasse 35 anos.

Eu me lembro de ter esperanças de estar mais magra (ela é a ultima que morre né, kkk). Eu me lembro la nos meus 20 e poucos de sonhar com um carreira bem sucedida, uma família. Engraçado como tenho tudo isso e o sentimento que eu achava que teria naquela época jamais senti. Quando estamos construindo nossa vida (carreira, conhecendo alguém e apostando no relacionamento pois já não somos mais adolescentes) temos aquela ilusão de que se atingirmos nossos objetivos seremos 100% felizes e pronto, zeramos as fases desse video game maluco chamado vida. Depois, só gozar de tudo de bom que conseguimos. Nada de batalhas, só gozar a vida.

E ai de repente você descobre que você já tem uma vida, que já ultrapassou todas aquelas barreiras que você vislumbrava nos seus 20 e poucos anos, mas que apesar das fases zeradas, sempre surge um novo jogo a ser jogado. Mas por outro lado você descobre que ser 100% não é o objetivo, e sim ser feliz 100% do tempo, apesar dos tropeços e desafios.

Se tem algo que aprendi nessa quase metade de vida que vivi é que o que vale é ser feliz o tempo todo, e não 100% feliz. Poder perceber aos 35 tudo de valor que construí e que me permitem ser feliz o tempo todo é maturidade, a meu ver. Eu esperava que nessa altura dinheiro amor e saude seriam as pecas para eu ser 100% feliz. Mas não sabia que esses 3 itens juntos também trazem dor. Mas essa dor jamais supera o bem que eles fazem, e todo dia, antes de dormir, me sinto feliz, mesmo depois da grana que faltou, do amor que lesou ou da saude que falhou.

Esses contos de faldas “e viveram felizes para sempre” sao os culpados por essa ilusão que criamos. Ninguém menciona que o príncipe vai pisar na bola, que o encanamento do castelo vai estourar e alagar a linda sala e destruir o papel de parede que a Cinderela trabalhou duro para pagar, que o baby príncipe vai chorar noite adentro bem quando a Cinderela terá aquela importante reunião de trabalho na manha seguinte, que aquela cintura linda só vai existir em fotos. E ai nos fantasiamos. Preciso ter uma carreira, conhecer alma gêmea, constituir família e pronto, acabou, “felizes para sempre”.

Sinto lhe informar princesa que não vai ser desta forma e nem tão simples. Mas posso te garantir que vai ser muito melhor. Porque mesmo depois de 10 cm de cintura a mais e 10 anos do mesmo sexo, ele ainda vai sentir atração por você, e melhor, vocês terão uma conexão maior ainda. Você vai viver diariamente a evolução de um amor incondicional quando tiver seu filho. Vai entender como nunca seus pais, e ama-los cada vez mais por tudo que fizeram por você. Você vai aprender que trabalho faz bem, mas que nenhum trabalho deve receber mais dedicação que você mesma. Vai aprender que dietas de 7 dias engordam 1 kg ao invés de emagrecer 5 kg como na adolescência. Vai aprender que dirigir é um saco e que se pudesse instituiria que carteira de motorista só é valida ate os 30 anos, depois o estado tem que te pagar um motorista. Você vai aprender que cuidar de casa, marido, filho, corpo e trabalhar é muita coisa, mas você vai tirar de letra e nem vai se lembrar como é ficar de papo para o ar. Vai entender porque sua mãe adorava a volta as aulas. Vai saber o que é ter dinheiro e não ter tempo para gasta-lo. Vai saber que a vida de adulto de verdade tem muitas responsabilidades mas também tem recompensas maravilhosas.

Eu jamais poderia imaginar que seria tão amada. Que teria uma casa tão linda. Que teria uma filha tão linda. Que seria tão competente naquilo que faço. Que seria motivo de orgulho para meus pais. Que saberia perdoar com tanta facilidade. Que a cada ano que passa ficaria cada vez mais emotiva e chorando ate com entrevista de jogar de futebol no Fantástico. Que ficar mais velha e olhar para trás e não se arrepender da maior parte não tem preço. Que envelhecer é sim colher frutos deliciosos, mas que a plantação nunca cessa.

Vai saber que escrever posts sem nexo algum faz parte da auto-analise que fazemos a cada aniversario…..rs.

Se nada disso fez nexo para você, assista esse video da Unilever e entenda porque o futuro quem faz é você, e que ele tem tudo para ser muito melhor.

Por que trazer uma criança para este mundo?

Nenhum coment??rio

dez 19 2012

Sequestro Relâmpago

Publicado por em Família

Passamos um susto há 3 semanas, meu marido foi vítima de sequestro relâmpago quando ia buscar os dogs na creche. Sorte que a dona viu tudo e avisou a polícia, e quando eles passaram pela polícia rodoviária da Raposo Tavares, começou a perseguição. Graças a Deus deu tudo certo e ele voltou sem nenhum arranhão para casa, mas foram talvez os piores 40 min da minha vida pois fui avisada assim que ele foi pego, e durante todo o tempo fiquei sem notícias, sozinha com Sarah, pensei só no pior.

Aconselho a todos duas coisas importantes que podem ajudar muito:
– baixar o aplicativo Find my Friends pars quem tem iphone. Você cadastra seus familiares e ele te diz onde eles estão.
– caso desconfiem de um sequestro de um familiar, não bloqueiem contas ou cartões, simplesmente liguem no banco e peçam uma redução de limites de saque e crédito par valores como 500 a 1.000 reais, com isso o bandido consegue sacar algo e não tem motivos para machucar a vítima. Alinhe com seus familiares qual será o valor para evitar que o sequestrado passe informações equivocadas para o ladrão.
– não fique parado em frente a um local esperando alguém, sempre dê voltas no quarteirão, não fique no carro dando bobeira (foi o caso do meu mairdo).

Atenção sempre, e muita muita calma caso seja abordada, não faça movimentos bruscos!!

Nenhum coment??rio

dez 26 2011

Sobre família e o que ela significa

Publicado por em Família

Natal é um época que me deixa sempre muito deprê. Apesar de toda a empolgação, a vontade de encontrar toda a família, de estar todos juntos, eu sempre sinto um vazio porque é um evento de FAMÍLIA, e eu não tenho certeza do que isso significa.

Este post relutei muito em escrever. É muita intimidade, e pode causar grandes mágoas em algumas pessoas. Mas dada a minha condição atual (grávida), o assunto família tem sido a minha maior angústia, pois me preocupo muito como vou criar a minha família e passar o conceito de família para minha filha.

Eu não sei se o conceito que eu tenho de família é o conceito ideal, ou pelo menos o padrão. Eu só sei que o que eu tenho como família (e não estou falando da minha família com o Rafa, e sim minha família de sangue) não é o tipo de família que quero dar para a minha filha.

Meus pais foram 2 heróis. Assim como os pais de todo mundo (e como nós tendemos a fazer também), pegaram tudo de ruim que tiveram (ou não puderam ter) nas suas infâncias/adolescências e nos proporcionaram. Minha irmã e eu sempre fomos muito educadas, melhores alunas, nunca tivemos uma cárie sequer (dentes impecáveis), donas de casa perfeitas (vejam meu lado culinária) mas também excelentes profissionais, com 12 anos eu falava inglês fluente (o que no começo dos anos 90 não era comum), nunca tivemos pele detonada (na primeira espinha milhares de cremes caros para resolver o problema), sempre arrumadas, sempre tudo muito próximo do perfeito.

Eles nos criaram para ser perfeitas. Na grande inocência deles, não perceberam o problema que estavam nos causando. Fizeram um excelente trabalho, somos as filhas “quase” perfeitas, daquelas de dar orgulho nas rodinhas de amigas contando sobre as filhas e suas conquistas. Não engravidamos antes de casar, não fomos drogadas, não fomos revoltadas, fizemos carreiras brilhantes, casamento, netos, boas casas, status social, etc.

Mas é aí que está o problema. Quando você cria uma pessoa exigindo que ela seja perfeita o tempo todo, você está pedindo ao mesmo tempo que ela seja melhor que os outros. E ser melhor que os outros não é fácil. Porque no mundo sempre vai ter alguém mais inteligente, mais rico, mais bonito, mais sortudo. E você se torna escravo dessa busca constante pela perfeição. É assim que eu vivo. Sempre buscando ser melhor que todo mundo, quero ganhar mais, ser a mais legal, a mais descolada, a mais bem sucedida. E isso tem um preço, e muito alto.

Meus verdadeiros amigos me conhecem, sabem que sou assim e no mais profundo conceito de amizade, me aceitam, aceitam esse meu jeito. O que eles não sabem é que eu não me aceito assim, eu não quero mais ser assim. Tenho trabalhado MUITO nas sessões semanais (que precisavam ser diárias, rs) de terapia mudar um pouco o meu jeito de encarar o mundo. Entender que não sou melhor que ninguém (ou talvez não melhor que todo mundo, só de alguns, rs) tem me custado muito. Horas e horas de reflexão. Respiros profundos e muito, muito florais de bach para ajudar. Respeitar o jeito do outro, o espaço do outro, tem me custado muitos respiros profundos.

Alguns exemplos para facilitar:

– Se eu entrar com você no seu carro, com certeza vou achar que dirijo melhor que você, não importa quão bom motorista você seja. O meu caminho sempre vai ser melhor e mais rápido que o seu. Vou te achar desligada, que você não se planeja quando está dirigindo. O semáforo vermelho e você nem freia desde longe para evitar assaltos. Sua desligada.

– Você fez um risoto maravilhoso, mas ficou faltando um pouquinho de sal, ou um pouquinho mais de queijo. Você nem percebeu, se fosse eu jamais serviria sem provar e perceber que mais uma pitadinha funcionava. Ou melhor, você devia ter me pedido para cozinhar, porque eu teria feito melhor.

– Você reclama das várias atribuições que tem, que seu dia é pesado. Por favor né? Você nem cuida da casa direito, outro dia vi seu marido com o ombro do paletó cheio de caspa, que tipo de mulher deixa o marido sair assim? E você nem cozinha, coitado dele, vivem de delivery e congelados.  Ah, isso para não dizer que você NÃO trabalha no mercado financeiro, o que faz da sua vida muito fácil né, porque vamos combinar, só quem tá no mercado financeiro sabe o que é pressão e entende o que acontece com o mundo.

Entenderam o nível de piração? Pensa que é fácil vir aqui e escancarar os seus defeitos assim pro mundo, ainda mais você que busca sempre a perfeição? Pois é, não é nada fácil. Ou talvez era fácil ignorar esse meu jeito PIRADO quando no mundo eu só tinha uma coisa: o meu umbigo. Agora eu tenho uma pessoa dentro de mim, alguém que não quero que se pareça em nada comigo.

Eu quero muito, mas muito mesmo, ensinar para minha filha que ela tem que ser aquilo que ela é. Eu quero que ela seja feliz com aquilo que ela é, sente, deseja. Não quero que ela sinta vergonha do que não pode ser, quero que ela saiba seus limites e seja feliz convivendo com eles. E é nesse contexto que se encaixa o tema família.

Eu acredito que família significa um núcleo de pessoas que te aceitam como você é, que te amam por aquilo que você é e estarão sempre lá para o que você precisar. É no seio familiar que se entende o que respeito significa, e digo respeito no sentido de aceitar as limitações e características do outro, é não se magoar com atitudes que sejam diferentes da sua, é estar feliz com pessoas que são completamente diferentes de você. Isso é algo que eu não tenho na minha família.

Eu sei que posso contar com eles sempre, qualquer coisa que eu pedir eles vão fazer por mim. Mas porque é assim que se constrói uma família “perfeita”, e não por respeitar um ao outro. Alí estamos sempre competindo, sempre querendo provar um ao outro que somos melhores, que nosso jeito é sempre o melhor. E acaba que sai todo mundo frustado e magoado, porque é impossível 4 pessoas serem todas elas perfeitas ou melhores que as outras, alguém vai ser o mais fraco, alguém vai errar.

Eu sei que para você leitor este post está totalmente confuso e você ainda não entendeu o que eu quero dizer. Nem eu sei bem. O que eu estou tentando dizer é que eu amo minha família, sei que eles vão sempre me ajudar quando eu precisar, mas esse conceito de família que temos não é o que eu quero criar para mim. Eu quero uma família diferente. Eu quero uma família que preze pelo companheirismo, pela união, pelo respeito. E eu não sei como chegar lá, por isso escrevi esse post. Porque é quando eu escrevo que eu mais me entendo, mais me enxergo. E eu tenho muito medo do que vejo, tenho receio que os 4 meses restantes da gravidez sejam insuficientes para eu me preparar para criar um ser humano e não transformá-lo em “desumano”. Sei que vou conseguir evitar muitos dos erros que vi na minha criação, mas cometerei outros erros. E assim como deixaram em mim uma marca profunda e um peso que carrego comigo diariamente, fico aterrorizada de pensar que posso fazer isso com outra pessoa também.

Vejo por aí as pessoas dizendo que você só entende sua mãe quando você vira mãe. E não tenho a menor idéia do que isso significa. Eu tenho medo do que isso significa, porque eu não quero nunca entender, compreender as atitudes da minha mãe, porque no fundo eu não quero perdoar muitas delas. E sabe porque? Porque é mais fácil culpá-la do que aceitar que eu também posso ter errado, e muito.

Vou parando por aqui porque estou me perdendo, rs. Eu só precisava expor a minha angústia de ser mãe, de NÃO ser uma BOA mãe. Sei que todas as mulheres passam por isso, e que a maioria encontra o seu caminho, o seu melhor jeito de criar um filho e formar uma família. Mas é que eu tenho muito medo de querer formar uma família perfeita, quando no fundo eu só quero uma família unida, companheira e cheia de amor.

Obrigada a todos que me fizeram companhia por aqui em 2011. Foi um ano turbulento para quase todos, foi um ano esquisito. Mas 2012 tá aí, e é ano PAR. Amo anos pares. PAR significa positivo. E é isso que eu desejo a você. Um ano muito positivo. Muito amor, muita saúde. Que Deus abençõe nossas vidas. Feliz 2012!!

 

Um coment??rio

out 21 2011

Cenas da vida real

Publicado por em Família,Gravidez

Eu: “Mãe, tô grávida, você vai ser vovó!”

Ela (olhando para meu marido e abrindo um sorriso): “Eh Rafael, até que enfim você acertou o buraco ein?”

Nenhum coment??rio

out 07 2011

E a maior benção de todas me foi dada!

Publicado por em Família

Eu tive que esperar um bom tempo para escrever este post. A minha vontade era de ter escrito ele há 2 meses atrás, mas marido me proibiu, inclusive de falar qualquer coisa para família e amigos. Foi uma das coisas mais difíceis que já fiz, pois guardar segredo não é comigo, rs.

Vamos direto ao ponto e depois conto o desenrolar: estou grávida de 11 semanas.

Eu sempre quis ter filho e aqui todo mundo sabe disso. Eu tinha como planos que isso acontecesse esse ano, mas logo em fevereiro tudo mudou na empresa, meu chefe saiu e obviamente que tive que adiar os planos. Mas como Deus tem um plano maior para a nossa vida, nesse meio tempo, fui conhecendo meu novo chefe, vendo seu estilo de trabalho e começando a gostar. Vi que aprenderia muito com ele, então em certo momento, resolvi continuar apostando na empresa. Matriculei-me em um MBA (tava na hora de dar uma refrescada) e decidi que ficaria.

Com essa mudança de plano de carreira, entendi que seria um ótimo momento para começar a tentar. Isso era começo de julho. Há mais de um ano que não estava tomando pílula e estava ultra regulada, controlava apenas com testes de ovulação diários (excelentes por sinal, recomendo muito o da Clearblue!) para evitar nos dias de risco.

No comecinho de agosto fiz o teste e pumba, tava ovulando. Coloquei maridão para trabalhar e esperei os 15 dias seguidos meio que ignorando, não estava ansiosa, pelo contrário, estava numa dieta absurda para emagrecer (e tomando remédio L) e ficava meio preocupada de engravidar naquele momento, eu queria que acontecesse dali a 2 meses (rs).

Na sexta-feira antes do dia dos Pais (12/08) era a data que deveria menstruar. Senti seios inchados, cólica como sempre, saindo aquele comecinho de menstruação. Fiquei tranquila achando que iria menstruar normal no dia seguinte, quando para mim sempre vinha o grande fluxo. No dia seguinte nada. Eu meio que esqueci disso pois foi bem quando resgatei a Bibi (lembra? Clica aqui.). Voltei para São Paulo no domingo a noite e fiquei meio desconfiada, mas guardei para mim. Na segunda-feira nada, continuei mega desconfiada mas esperei a terça-feira de manhã para testar com teste de farmácia na primeira urina do dia. E assim o fiz.

Era 16 de agosto de 2011. Foi engraçado. Sabe quantos testes de gravidez de farmácia já fiz torcendo para aparecer as duas listras? Pois nesse foi molhar uma gota de xixi e as duas tiras estavam lá estampadas. Fiquei meio em choque. Contei para marido, que ficou meio em choque também. Eu já havia pedido no dia anterior para a médica uma receita de Beta HCG (exame de sangue para confirmar a gravidez), então ficamos meio felizes, mas “vamos esperar o exame de sangue confirmar”. De manhã mesmo fui coletar o sangue, e o exame ficaria pronto às 18 horas. Óbvio que eu fiquei contando as horas. Por volta das 17 horas entrei na internet e estava pronto, não conseguia entender as medidas direito, só me lembro que tinha uma nota escrita assim:

“se a intenção deste exame é confirmar quadro de gravidez, o resultado é POSITIVO”

Continuei em choque, um misto de alegria, euforia, preocupação, tensão, nervosismo, etc. Mandei para marido. À noite estávamos os dois meio calados. Óbvio que felizes, mas de repente a ficha cai: vou ser mãe/pai. Ficamos em silêncio à noite antes de dormir. Como tivemos alguns amigos que sofreram aborto na primeira gestação, Rafa me fez jurar que não contaria para ninguém. Claro que jurei, mas claro também que do meu juramento estavam excluídas algumas pessoas que não dava para não contar. Minha irmã e duas amigas foram as únicas a saber.

No dia seguinte eu já era uma nova mulher. Odiava tomar água, se tomasse um copo de água por dia era muito. De repente me vi tomando 2,5 litros de água por dia, comendo muita verdura e legumes e frutas, de 3 em 3 horas, super saudável. Incrível como não cuidamos de nós mesmos quando precisamos, mas basta uma vidinha estar dentro de você para tudo mudar.

Senti muita, muita dor no seio no começo, e muita cólica (o que é normal, pois o útero está começando a se expandir para implantar o embrião).

Marquei consulta na hora com a ginecologista.

E então resolvi escrever este relato, que apesar de não poder publicar ainda no blog, ficaria guardado para o dia que pudesse fazer isso, e teria para sempre a memória desse momento tão importante.

Os acontecimentos foram registrados pelas datas e publicados em posts que estão abaixo (vão ter que ler o blog desde 16 de agosto!) nas datas em que eles aconteceram, para ter o histórico no blog.

2 coment??rios

set 21 2011

É menina!!!!! Sarah vem aí….

Publicado por em Família,Filhos

Na segunda dia 19 logo cedo fui colher sangue para fazer a sexagem fetal. Na minha cabeça e na de todo mundo, com exceção do Rafa, era menino. Eu não conseguia pensar em menina, conversava com a barriga sempre falando “oi filho”. Para mim era questão de dias para comprovar meu sentimento de mãe, rs.

No Fleury eles falar que o exame levava 5 dias úteis, e que a data máxima seria 26 de setembro. Eu fiquei meio aflita porque Rafa viajaria para Europa na sexta dia 23 e queria que ele estivesse aqui quando saísse o resultado.

Na tarde do dia 21, completando 9 semanas, por volta das 15h cheguei em casa para descansar, estava com um sono fenomenal então saí mais cedo do trabalho. Deitei na cama e quando estava quase pegando no sono meu celular apitou com um SMS do Fleury dizendo que o resultado estava disponível.

Corri para o computador meio tremendo, abri o resultado do exame e estava escrito:

“Ausência de cromossomos Y, o sexo provavelmente é feminino.”

Mas eu desabei a chorar, um choro esquisito, de desespero. Foi estranho, eu fiquei desesperada, não era triste, era uma mescla de medo com gratidão. Sei lá, acho que na hora me veio na cabeça minha relação com a minha mãe, o medo de cometer os mesmos erros que ela (esse assunto rende na terapia e um dia vai render por aqui também). Foi estranho. Não quis nem ligar para o Rafa nem para ninguém. Mandei sms para ele e para todo mundo, e fiquei chorando. Meio desacreditada. Então a minha Sarah tá vindo aí?

A família ficou emocionada, avós, tios, irmãos, todo mundo feliz, exceto meu sobrinho de 3 anos que já estava ávido pelo priminho que ele teria de companheiro de brincadeiras. Mas ele se conformou e falou: “tia Cynthia, você vai levar ela para ver eu jogar futebol?” oh coisa fofa!!!!

Enfim, agora é mudar o chip, rs.

Filha, a mamãe já consegue ver a menininha dentro dela. Fiquei muito feliz que vou ter uma bonequinha para emperiquitar. Eu acho que você vai puxar (de gênio) pro papai, porque é engraçado, mas quando a mamãe coloca som bem alto no carro, com música dance, sinto um desconforto (não físico), como se estivesse incomodando alguém. Isso acontece quando a mamãe faz isso e papai tá no carro, ele odeia música dance e mais que isso, qualquer tipo de música bem alta….. será que você vai puxar para ele? Espero que sim, porque seu pai tem um gênio tão bom.

Nenhum coment??rio

pr??ximo »